Gutemberg Amorim Advogado Em Goiânia GO

Plano odontológico: guia prático em caso de negativa de cobertura e reembolso

plano odontologico

Compartilhar

Índice

A questão do cuidado bucal tem ganhado uma atenção cada vez maior, tendo em vista que reflete integralmente no nosso bem-estar e na nossa interação social. Uma peça chave no xadrez da saúde bucal é o plano odontológico. Ele oferece o acesso a uma ampla gama de procedimentos clínicos, sendo um recurso de fundamental importância para o cuidado preventivo e tratativo da nossa boca.

No entanto, nos últimos tempos, é notável um crescente aumento na recusa, negativa de cobertura e reembolso por parte de consultórios odontológicos. Esse fenômeno agrega desafios para os usuários desses planos, que necessitam entender seus direitos e possibilidades dentro desse cenário. E sendo você um desses pacientes que acaba passando por sufocos e ficando confuso sobre o que fazer, passou da hora de entender as medidas cabíveis.

Plano odontológico: o que ele cobre e como funciona?

O plano odontológico é um tipo de assistência que garante ao titular e seus dependentes uma variedade de atendimentos, como: consulta regular com o dentista, radiografias, prevenção e diagnóstico de doenças bucais, além de determinados procedimentos mais específicos tais como, limpeza de tartaros, aplicações de flúor, tratamento de canal e gengivas, extrações e até mesmo cirurgias.

Vale lembrar que esses procedimentos estão incluídos na cobertura básica, obrigatória para todos os planos de saúde bucal, estipulados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Funciona através de um contrato entre o indivíduo ou empresa e a operadora do plano odontológico, onde o contratante paga uma mensalidade em troca do acesso facilitado a um conjunto de serviços odontológicos.

Essa mensalidade é geralmente mais acessível do que pagar do próprio bolso para cada consulta ou procedimento realizado por um dentista particular. Assim, através do plano, você se assegura de que terá atendimento quando precisar, facilitando as idas ao dentista para consultas e procedimentos habituais e até mesmo os mais complexos. No entanto, é preciso ficar atento ao fato de que nem todos os serviços estão inclusos em um plano odontológico. Procedimentos estéticos, por exemplo, como clareamento e implantes, geralmente não estão inclusos na cobertura básica.

Para ter direito a esses procedimentos, é preciso contratar um plano com um pacote adicional ou específico. O ideal é que quando pensar em contratar um plano odontológico, se tenha ciência de tudo que este plano cobre, e se possível, buscar um que se adeque às suas necessidades, garantindo uma saúde oral completa e sem preocupações financeiras.

Entendendo as Razões para a Recusa do Plano Odontológico

Mesmo com a relevância e os benefícios do plano odontológico, sua recusa é uma realidade que merece ser entendida. Os motivos podem ser diversos, variando de fatores econômicos a uma falta de reconhecimento sobre a importância da saúde bucal. No contexto econômico, muitas pessoas podem ver o plano odontológico como um gasto extra não essencial, principalmente em períodos de crise ou instabilidade financeira.

Ainda, a falta de informações sobre a cobertura e as vantagens de ter um plano odontológico também pode levar a essa solução se tornando menos atrativa. Por outro lado, a falta de consciência sobre a importância da saúde bucal também é uma grande razão para recusar o plano odontológico. Muitas pessoas só buscam tratamento para problemas dentais quando eles se tornam mais graves, resultando em procedimentos mais caros e invasivos que poderiam ter sido evitados se tratados precocemente.

Por isso, é fundamental que haja uma maior disseminação de informações sobre a prevenção e o tratamento de problemas bucais e a relevância de um plano odontológico na facilitação desse cuidado constante com a saúde.

Como Solicitar o Reembolso do Plano Odontológico

Ao conhecer as razões e conseguir identificar qual pode ter sido o motivo da recusa ou negativa de cobertura do seu plano odontológico, é preciso saber as formas de solicitação de um possível reembolso e estorno dos valores.

Dentre as etapas para solicitação e o que você precisa verificar, vale destacar:

  1. Analise o Contrato: Antes de mais nada, é importante saber as condições do seu plano odontológico. O contrato entre você e a seguradora deve especificar as situações em que um reembolso é possível. Se você não estiver claro sobre as leis aplicáveis, procure o conselho de um advogado.
  2. Conheça seus Direitos: Compreender os seus direitos como consumidor é fundamental. Consulte os órgãos de defesa do consumidor, como o Procon, para entender melhor como funciona a solicitação de reembolso do plano odontológico e quais são seus direitos nessa situação.
  3. Organize a Documentação necessária: Para solicitar o reembolso do plano odontológico, provavelmente, você precisará apresentar uma série de documentos, como recibos, notas fiscais, laudos, entre outros. Certifique-se de ter em mãos todos os documentos necessários para agilizar o processo.
  4. Entre em Contato com a Seguradora: Uma vez que esteja com toda a documentação organizada, entre em contato com a seguradora de seu plano odontológico. Informe sobre a sua intenção de solicitar o reembolso e questione sobre o procedimento a ser seguido.
  5. Faça a Solicitação de Reembolso: Em geral, as seguradoras têm um formulário padrão para a solicitação de reembolso do plano odontológico. Preencha corretamente cada campo do formulário, anexe a documentação necessária e envie para a seguradora.
  6. Acompanhe o Processo: Após realizar a solicitação, acompanhe de perto o processo. Fique atento a possíveis solicitações de documentos adicionais ou outras informações por parte da seguradora do seu plano odontológico.
  7. Recorra, se necessário: Caso o seu pedido de reembolso seja negado sem motivos plausíveis, você pode recorrer à decisão. Busque uma consultoria jurídica para te auxiliar nesse processo, para que você possa reivindicar os seus direitos enquanto consumidor do plano odontológico.

Com esses passos é possível ficar por dentro do seu contrato e analisar de perto todas as possibilidades e conseguir alcançar o seu reembolso da maneira mais segura e justa, sem sair prejudicado e lesado da situação.

Lidando com a Negativa do Plano Odontológico

Da mesma forma em que, quando estiver diante da negativa do seu plano, é preciso saber como lidar com as consequências e como se preparar para os passos indicados e reforçar mais ainda a segurança necessária para ir atrás do seu reembolso. Para isso, é também importante:

  1. Conferência de Documentação: Primeiramente, é importante verificar se todos os documentos necessários foram entregues para a solicitação de reembolso do plano odontológico. Documentos ausentes ou preenchidos incorretamente podem ser o motivo da negativa. Se for o caso, providencie os documentos necessários e reaplique para o reembolso.
  2. Reanálise do Plano: Se a documentação estiver correta, o segundo passo é verificar as condições do seu plano odontológico. Você precisa certificar-se de que o procedimento para o qual está pedindo reembolso está, de fato, coberto pelo plano. Se a negativa foi devido a uma exclusão especificada no plano, é possível que não haja como receber reembolso.
  3. Negociação: Se constatado que houve uma negativa injusta, tente entrar em contato com o seu plano odontológico para uma negociação. Eles podem rever o seu caso e considerar o reembolso, principalmente se os serviços que você recebeu são geralmente cobertos pelo plano.
  4. Apelo Legal: Caso não consiga uma negociação amigável e considere que seus direitos foram violados, buscar aconselhamento jurídico pode ser uma opção. Um advogado especialista em direito do consumidor será capaz de analisar o seu caso e pode ajudar a tomar medidas legais para tentar reverter a decisão.
  5. Mudança de Plano: Se não houver possibilidade de ajuste ou recurso legal, pode ser hora de considerar mudar de plano odontológico. Procure por um plano que atenda melhor às suas necessidades e que seja mais transparente sobre o que é e o que não é coberto. Isso pode ajudar a evitar problemas futuros de cobertura e reembolso.

Associando cada uma dessas dicas, é possível ter acesso ao seu direito e evitar ainda mais sofrimento com a negativa do seu plano dentário e ter a garantia que o seu dinheiro e tempo investido não foram em vão.

Direitos e Deveres dos Consumidores de Plano Odontológico

Assertividade tem sido uma característica extremamente eficiente quando nos referimos aos direitos e deveres dos consumidores de plano odontológico. Logo após lidar com uma negativa por parte da operadora, o associado deve ter plena noção de suas prerrogativas, pois isso propicia a este um embasamento legal para reivindicar os serviços ora negados.

Destarte, o usuário do plano odontológico tem sua proteção jurídica garantida pelo Código de Defesa do Consumidor, o qual assegura que todo serviço contratado deve cumprir com suas especificações, sendo proibido qualquer tipo de limitação ou discriminação, incluindo-se os procedimentos odontológicos.

No entanto, é válido ressaltar a importância dos deveres dos consumidores de plano odontológico. Estes se instauram sob a necessidade primordial de uma relação bilateral entre a empresa e o cliente, envolvendo assim o equilíbrio entre direitos e obrigações. Dessa forma, o pagamento em dia das mensalidades é obrigatório, tendo em vista que a inadimplência pode caracterizar quebra de contrato, dando assim o direito à operadora de cessar a prestação dos serviços.

Além disso, o consumidor deve estar ciente de que o plano odontológico tem a prerrogativa de estabelecer períodos de carência, os quais devem ser respeitados e usufruídos somente após sua completa vigência. Entretanto, os conflitos ainda seguem sendo uma realidade no cotidiano desses consumidores, pois, não raro, os mesmos se veem reféns de empresas que ignoram a legislação, desrespeitam os direitos dos consumidores e impõem procedimentos abusivos, dificultando o acesso a tratamentos.

Neste sentido, cabe ao consumidor, munido de todos os seus direitos, exercer o seu papel de cidadão e exigir o cumprimento de suas prerrogativas, não se acanhar de solicitar esclarecimentos sobre o plano odontológico e, se necessário, buscar os órgãos de defesa do consumidor para assegurar a efetivação de seus direitos.

Busque auxílio jurídico para reembolso da sua negativa de cobertura dentária

A recusa, o reembolso e a negativa de um plano odontológico são situações que podem ser resolvidas conhecendo claramente seus direitos como consumidor e os procedimentos corretos a serem seguidos. Esses problemas não só podem ser evitados com uma compreensão clara de suas obrigações e direitos como consumidor de um plano de saúde dental, mas também podem ser resolvidos de maneira eficaz se surgirem.

É preciso que você tome medidas imediatas quando seus direitos forem violados, pois o atraso pode resultar em todos os tipos de problemas futuros. Nada é irreversível se você souber ter planejamento e, principalmente, contar com a ajuda necessária para estudar o seu contrato, as condições de uso e o que pode ser feito para que você não seja lesado nas negativas do seu plano odontológico e saiba como lidar com a situação, de um jeito simples e com a segurança que terá retorno dos seus direitos.

Para isso, contar com profissionais especializados na área faz toda a diferença, principalmente especialistas em Direito da Saúde e medidas judiciais e extrajudiciais que podem ajudar no cumprimento eficaz do que é necessário pelo plano de saúde e conseguir com que os seus atendimentos sejam eficazes e que, se for o caso, consiga reembolso justo do que lhe é devido.

Entre em contato com a nossa equipe e comece a verificar isso agora mesmo.

Fique por dentro dos seus Direitos de Cidadão

Cadastre seu e-mail

Leia também