Fibromialgia Aposenta? Entenda os Requisitos para Solicitação no INSS

Fibromialgia e Aposentadoria: Guia Completo Para o Requerimento no INSS

Compartilhar

Índice

A fibromialgia, uma condição caracterizada por dores crônicas em múltiplas partes do corpo, fadiga intensa e problemas de sono, pode, sim, levar à aposentadoria por invalidez, desde que cumpridos certos requisitos. Este artigo tem como objetivo esclarecer dúvidas sobre os direitos previdenciários de quem sofre com essa condição e como proceder para solicitar benefícios junto ao INSS, especialmente após a reforma previdenciária de 13/11/2019.

Quais são os Requisitos para Solicitar Aposentadoria por Fibromialgia?

A fibromialgia pode incapacitar significativamente o indivíduo para o trabalho, justificando a aposentadoria por invalidez. No entanto, a concessão do benefício depende de uma avaliação rigorosa, que considera:

  • Diagnóstico médico detalhado, evidenciando a severidade da condição.
  • Incapacidade laboral, impossibilitando a continuidade no exercício de atividades profissionais.
  • Histórico de tratamentos, demonstrando que as terapias convencionais não resultaram em melhoria significativa.

A Importância da Documentação Adequada

Para que o processo de solicitação de aposentadoria por fibromialgia no INSS seja bem-sucedido, a apresentação de uma documentação completa e adequada é essencial. Esta deve incluir:

  • Relatório Médico Detalhado: Um relatório minucioso, fornecido por um reumatologista, que descreva a condição do paciente, a intensidade da dor, o impacto na qualidade de vida e na capacidade de trabalho, além de um histórico de todos os tratamentos realizados e suas respectivas respostas.
  • Histórico de Tratamento: Documentação de todas as terapias tentadas, incluindo medicamentos, fisioterapia, psicoterapia, entre outros. É importante que estes documentos mostrem que os tratamentos convencionais não trouxeram melhoras significativas.
  • Exames Complementares: Embora a fibromialgia seja uma condição diagnóstica clínica, exames que descartem outras doenças com sintomas semelhantes podem reforçar o caso.
  • Documentação Pessoal: Identidade, CPF, comprovante de residência e carteira de trabalho para comprovação de vínculo empregatício e contribuições previdenciárias.

1. Auxílio-Doença (Benefício Temporário)

Requisitos:

  • Incapacidade Temporária para o Trabalho: O solicitante deve demonstrar que a fibromialgia o incapacita temporariamente para suas atividades laborais.
  • Carência: É necessário ter contribuído para o INSS por, no mínimo, 12 meses, exceto em casos de acidente de qualquer natureza.
  • Documentação Médica: Relatórios detalhados e histórico de tratamento, conforme discutido anteriormente.

Processo de Solicitação:

O processo inicia-se com o agendamento de uma perícia médica no INSS, onde será avaliada a incapacidade temporária do trabalhador. Em caso de aprovação, o benefício é concedido por um período determinado, podendo ser renovado mediante nova perícia.

Em Caso de Negativa:

Se o pedido for negado, o solicitante pode recorrer da decisão administrativamente e, se necessário, judicialmente, seguindo os passos já mencionados.

2. Aposentadoria por Invalidez (Benefício Permanente)

Requisitos:

  • Incapacidade Permanente para Qualquer Atividade Laboral: Diferentemente do auxílio-doença, a aposentadoria por invalidez requer uma incapacidade permanente, não apenas temporária.
  • Perícia Médica: Uma avaliação que comprove a incapacidade permanente do solicitante de exercer qualquer atividade que lhe garanta a subsistência.
  • Período de Incapacidade: Geralmente, é considerado após o recebimento do auxílio-doença por um período, indicando que a recuperação não é prevista

Diferenças Cruciais

  • Temporariedade vs. Permanência: O auxílio-doença é destinado a incapacidades temporárias, enquanto a aposentadoria por invalidez abrange incapacidades permanentes.
  • Avaliação da Capacidade Laboral: Para o auxílio-doença, avalia-se a incapacidade para o trabalho atual; para a aposentadoria por invalidez, a incapacidade é avaliada em um contexto mais amplo, considerando qualquer atividade laboral.
  • Processo de Renovação: O auxílio-doença requer renovações periódicas por meio de perícias, enquanto a aposentadoria por invalidez é concedida sem a necessidade de renovação, embora o INSS possa convocar o beneficiário para reavaliações.

O Processo de Requerimento no INSS

Após a preparação da documentação, o próximo passo é agendar uma perícia médica através do site ou telefone do INSS. Durante a perícia, é crucial que o solicitante comunique de forma clara e detalhada como a fibromialgia afeta sua capacidade de trabalho.

Em Caso de Negativa do Pedido

A negativa de um pedido de aposentadoria por fibromialgia pelo INSS não é o fim do processo. Seguem-se algumas ações recomendadas:

  1. Análise Detalhada da Decisão: Entender os motivos específicos da negativa é fundamental para preparar um recurso eficaz.
  2. Recurso Administrativo: O primeiro passo é recorrer dentro do próprio INSS, apresentando argumentos e, se possível, novas evidências que reforcem o pedido.
  3. Assistência Jurídica: A contratação de um advogado especializado em direito previdenciário pode aumentar significativamente as chances de sucesso, tanto na fase de recurso administrativo quanto em uma possível ação judicial.
  4. Ação Judicial: Caso os recursos administrativos se esgotem sem um resultado positivo, a via judicial pode ser uma opção. Nesta etapa, a apresentação de uma documentação robusta e detalhada, juntamente com um laudo médico pericial independente, será crucial.

10 Perguntas Frequentes sobre Fibromialgia e Aposentadoria

  1. A fibromialgia é reconhecida pelo INSS como motivo para aposentadoria? Sim, desde que comprovada a incapacidade laboral de forma definitiva.
  2. Quais documentos são necessários para a solicitação? Relatórios médicos detalhados, histórico de tratamento, exames complementares, identidade, CPF, e comprovante de residência.
  3. Como é o processo de requerimento no INSS? Deve-se agendar uma perícia médica pelo site ou telefone do INSS, apresentando todos os documentos necessários.
  4. E se houver negativa do pedido? É possível recorrer da decisão dentro do prazo estipulado pelo INSS, podendo ser necessário um advogado especializado.
  5. Como o advogado pode ajudar desde o planejamento? Um advogado pode orientar na preparação dos documentos, explicar os direitos do paciente e representá-lo perante o INSS.
  6. A reforma previdenciária afetou os direitos dos portadores de fibromialgia? As regras gerais para aposentadoria foram alteradas, mas os critérios para aposentadoria por invalidez permanecem focados na incapacidade para o trabalho.
  7. Qual a diferença entre aposentadoria por invalidez e auxílio-doença? O auxílio-doença é concedido para incapacidades temporárias, enquanto a aposentadoria por invalidez se aplica a casos permanentes.
  8. É necessário um tempo mínimo de contribuição? Para aposentadoria por invalidez, não, mas para outros benefícios previdenciários, sim.
  9. A fibromialgia precisa ser a única condição para solicitar a aposentadoria? Não, outras condições de saúde podem ser consideradas em conjunto para determinar a incapacidade laboral.
  10. Quais tratamentos para fibromialgia o INSS considera? O INSS avalia todos os tratamentos realizados, mas dá especial atenção àqueles reconhecidos cientificamente e prescritos por especialistas.

Conclusão

Para segurados junto ao INSS afetados pela fibromialgia, compreender as nuances entre o auxílio-doença e a aposentadoria por invalidez é fundamental. A preparação adequada da documentação, a compreensão dos requisitos específicos e o conhecimento sobre como proceder em caso de negativa são passos essenciais para garantir o acesso aos direitos previdenciários. Em ambos os casos, a orientação de profissionais especializados pode ser um diferencial importante na busca pela concessão dos benefícios.

Fale com um de nossos especialistas agora mesmo e assegure seus direitos.

 

Fique por dentro dos seus Direitos de Cidadão

Cadastre seu e-mail

Leia também